Image Map

RESENHA: DIVERGENTE

Título: Divergente
Título Original: Divergent
Autor(a): Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 504
Minha Classificação: ★★★★★

Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Bem meninos e meninas para marca a volta do blog as resenhas literárias  começerei homenageando a serie Divergente, que terá em dia 19 de março a estreia do segundo filme da serie intituládo Insurgente. Mas não vamos colocar a carroça na frente dos bois, começarei resenhado o primeiro livro da série.
Divergente tem como história a forma como a vida é levada daqui a alguns anos, tudo narrado pelo ponto de vista de Beatrice. 
Após todas as guerras e os estragos causados pelas mesmas, são criadas cinco facções para impedir que isto ocorra novamente. São elas: Abnegação - contra todo o tipo de egoísmo -, Amizade -  à favor da serenidade e pacificidade -, Audácia - os corajosos -, Franqueza - sinceros - e Erudição - inteligência.
Após completar dezesseis anos, todos os jovens passam por testes afim de saber em qual facção se encaixam melhor, apesar de que, levando ou não em conta o resultado, a decisão final é sempre da pessoa. E é aí que nossa protagonista entra, prestes a fazer a escolha que decidirá como sua vida será, irá escolher ficar junto de sua família e não correr o risco de desapontá-los ou escolherá o que realmente deseja?
Uma heroína que sempre perdoa e nunca tem pensamentos egoístas. Suas características a fazem ser uma personagem mais real. Comete erros, menti, engana e mata se necessário, seus pensamentos são como os de qualquer outra pessoa, acredita em seus ideais e menospreza aqueles que  acha serem fracos. Uma personagem diferente, um estilo diferente, fazendo-a não ser cansativa e idiota.
Temos também Four - o instrutor dos novatos, misterioso e frio - e Cristina, Will, Al e Uriah - os novos amigos que Triz faz quando entra para sua escolhida facção.
A leitura ocorre facilmente, você não consegue se satisfazer até já ter devorado todo o livro, entretanto, algumas paradas são necessárias, para poder compreender o que apenas acabou de acontecer.
Amanhã venho com a resenha de Insurgente que estreará em breve nos cinemas.

Classificação:
 
0

0 comentários:

Postar um comentário